O verão

Jantar num terraço ensolarado, passear pela praia de Larvotto ao pôr do sol… eventos festivos sem fim. Há sempre algo acontecendo em Mónaco, apenas tem que escolher.

A estação resplandecente 

A Gala da Cruz Vermelha Monegasca é indubitavelmente a maior noite de gala de caridade do mundo. Reúne, no recinto da Sala das Estrelas do Monte-Carlo Sporting Club, a alta sociedade e filantropos vindos de todo o mundo.

O Paço de Honra do Palácio do Príncipe de Mónaco abre as suas portas em julho e agosto para acolher uma série de concertos de música clássica. Numerosas orquestras de renome vêm tocar obras de Strauss, Mozart ou de Beethoven.

O Festival de Televisão de Monte-Carlo foi criado em 1961 por S.A.S. o Príncipe Rainier III que desejava "encorajar uma nova forma de arte, ao serviço da paz e do entendimento entre os homens". A Ninfa de Ouro premeia a melhor criação audiovisual. Estrelas internacionais reúnem-se durante uma semana em Monte-Carlo para conferências exclusivas, projeções públicas…

Desde a sua criação, o Monte-Carlo Sporting Summer Festival acolhe todos os anos artistas internacionais num cenário de prestígio: a Sala das Estrelas do Sporting de Verão. Com uma programação de concertos excecional, este festival tornou-se um dos pontos incontornáveis das noites estivais do Principado.

O Mundial do Teatro, este evento criado pelo Estúdio de Mónaco (círculo artístico monegasco fundado em 1939) é organizado todos os quatro anos desde 1957. A última edição data de agosto de 2017. Centenas de atores-amadores apresentam todas as noites, durante dez dias, três peças de países diferentes na língua materna de cada país. Um verdadeiro passeio pelo mundo cultural sem sair da cadeira do teatro.

Em julho e agosto o Forte Antoine na Cidade procura desenvolver um teatro vivo, popular e misto, em busca da criação contemporânea. Em estreita comunhão com um público entusiasta, os artistas adoram atuar nesse ambiente, nas mornas noites de verão, tão perto do céu e do mar que se fundem aqui numa decoração única.

O Concurso Internacional de Fogos de Artifício Piro-melódicos, criado pela Câmara Municipal de Mónaco em 1966 por ocasião das celebrações do centenário municipalidade de Monte-Carlo, o incontornável Concurso Internacional de fogos de artifício piro-melódicos decorre durante a estação estival, com quatro noites que pontuam o verão e incendeiam o céu monegasco. O anfiteatro natural que é a baía do Porto Hercule forma um cenário ideal para esta competição reenviando para o mar o eco formidável das detonações.

Com o retorno do verão, o Festival Internacional de Órgão de Mónaco instala-se de novo na Catedral em torno do grande órgão Thomas. Graças a um novo modelo de retransmissão vídeo, o público poderá seguir com maior intimidade o bailado das mãos e dos pés dos artistas na consola do monumental instrumento de 4 teclados e 80 jogos.

Todas as estações são belas no Principado…

Prêmio Literário, Prêmio de Composição Musical, Prêmio Internacional de Arte Contemporânea são entregues ao longo de todo o ano pela Fundação Príncipe Pierre de Mônaco, cujo objetivo consiste em estimular a criação contemporânea. Essa fundação, criada em 1966 por S.A.S. O Príncipe Rainier III em homenagem à memória do seu pai, O Príncipe Pierre, grande protetor das Artes e das Letras, organiza igualmente inúmeras conferências sobre temas variados, contando com participantes de renome.

Da comédia ao jazz, do clássico às marionetes, do visual ao one-man show cômico, do francês ao inglês, do italiano ao alemão, o Teatro Princesa Grace, sob o impulso de sua criadora S.A.S. A Princesa Grace, respira ao ritmo do ecletismo.

Sob a direção do seu novo Diretor Artístico e Musical, Kazuki Yamada, a Orquestra Filarmônica de Monte-Carlo transporta todos aos quatro cantos do planeta.

A Ópera de Monte-Carlo apresenta a arte lírica com virtuosismo, em produções excepcionais, tais como Nabucco de Verdi, encenado pela primeira vez em 2002 no Principado, com um Coral de 120 cantores, 60 figurantes, um número considerável de dançarinos e 300 figurinos, com óperas barrocas integralmente revisitadas ou saborosas operetas. A Ópera de Monte-Carlo, sob a direção de Jean-Louis Grinda, propõe uma programação cheia de charme, surpresas e talentos.

Dos Balés Russos de Diaghilev à Companhia dirigida por Jean-Christophe Maillot, os Balés de Monte-Carlo atravessaram um século da história da Dança com extrema paixão. Diretor e coreógrafo, Jean-Christophe Maillot soube fazer evoluir os Balés no sentido da criação contemporânea com as suas próprias obras, assim como através da presença regular de coreógrafos de envergadura internacional, por ele convidados a se apresentarem em Mônaco.

Mês a mês, os Balés, a Orquestra Filarmônica, a Ópera de Monte-Carlo e o Teatro Princesa Grace apresentam espetáculos originais e de altíssima qualidade.