Ver

Você sabia? As curiosidades do esporte em Mônaco

Data de publicação: 17/02/2020
Além dos prestigiosos eventos que fazem de Mônaco um polo internacional do esporte, há pequenas histórias que compõem a grande História!

Além dos prestigiosos eventos que fazem de Mônaco um polo internacional do esporte, há pequenas histórias que compõem a grande História! O esporte em Mônaco sempre ocupou posição de destaque e importante, proporcionalmente às dimensões do Principado. Desde os primeiros anos do século passado, sucedem-se manifestações esportivas de prestígio, do Grande Prêmio de Fórmula 1 ao Rali de Monte-Carlo, passando pelo Rolex Monte-Carlo Masters de tênis ou pelo meeting internacional Herculis de atletismo.

  • Do lado materno, seu avô Jack Kelly foi campeão olímpico de remo em 1920 & 1924 e o seu tio participou de quatro Jogos Olímpicos, ganhando medalha de bronze no remo, em 1956. Do lado paterno, o bobsleigh já era um assunto de família, pois Guy de Polignac, primo do Príncipe Rainier III, fez parte da equipe francesa nos anos 1920. Por fim, a Princesa Charlène teve a oportunidade de mostrar os seus talentos como nadadora de primeira linha: campeã da África do Sul na categoria juniores, vencedora do meeting de natação de Mônaco e premiada em três ocasiões na Copa do Mundo de 2002. A Princesa Charlène participou igualmente das Olimpíadas, onde classificou-se em quinto lugar no revezamento feminino, na edição de Sydney, em 2000.

  • Rainha das corridas automobilísticas, a Fórmula 1 atrai todas as atenções, a fortiori, em Mônaco, graças ao seu espetacular circuito urbano. Entretanto, o Principado ocupa igualmente posição de destaque em duas outras categorias: o Grande Prêmio Elétrico e o Grande Prêmio Histórico. Organizadas em alternância no início de maio, essas duas provas sempre ocorrem no centro da cidade, seguindo um traçado mais curto no tocante ao EPrix e proporcionando um grande espetáculo, tanto para os apaixonados por carros quanto para o público em geral. Quer seja apreciado o charme dos carros para uma pessoa de outrora ou se a predileção se volte para a mobilidade sustentável aliada às sensações de velocidade, venha dar uma volta no Principado!

  • Quando se fala de clube ou associação esportiva em Mônaco, o futebol é lembrado por quase todos… Embora não seja a mais antiga associação. A decana das associações esportivas monegascas se chama “Sociedade de Regatas”, fundada em junho de 1888! Ainda que este nome são seja parte da nossa atualidade, ele gerou as duas instituições do Principado, a Sociedade Náutica e o Iate Clube, das quais o Soberano é, respectivamente, Presidente de Honra e Presidente.

  • A Associação Esportiva de Mônaco (ASM), conhecida por essa denominação, foi criada em 1924. Na realidade, ela é o produto da fusão de várias organizações que possibilitavam aos moradores locais se entregarem às suas paixões. Assim, as primeiras modalidades praticadas sob a égide da ASM foram a ginástica, o futebol, a natação, o atletismo e o ciclismo. Rapidamente se sucederam o basquete, o boxe e o vôlei.

  • Você sabia? Entre os seus cidadãos, Mônaco conta com Daniel Elena, nove vezes campeão mundial! Copiloto de Sébastien Loeb, a dupla reinou no rali durante uma década, com nove títulos consecutivos, conquistados de 2004 a 2012, um recorde. O Monegasco apresenta a particularidade de ser o único estrangeiro eleito campeão dos campeões na França, pelo jornal L’Équipe (em 2007 e 2009)… Oxalá o seu compatriota Charles Leclerc sigas os seus passos!

  • Desde a sua criação, em 1924, e plus particularmente a partir dos anos 1960, a AS Monaco Football Club exporta a diagonal do seu uniforme vermelho e branco pelos quatro cantos da França e da Europa. Sendo à Princesa Grace a quem se deve este design único. Em 1960, os Monegascos ganharam o seu primeiro título e Grace Kelly imaginou então essa diagonal singular. Um uniforme que viria a trazer sorte aos Monegascos, pois o clube conquistou o seu primeiro Campeonato Francês na temporada subsequente.

  • À época, a AS Monaco Football Club jogava no antigo Estádio Louis-II, situado bem ao lado do Jardin Animalier. Dentre os seus habitantes estava presente o elefante Bouba que adquirira o hábito de barrir sempre que um gol era marcado. Foi então que os torcedores tiveram a ideia de se inspirar nesta situação insólita para criar a mascote do clube. Apesar da ausência nos anos 2000, Bouba ainda hoje incentiva os Vermelho e Branco, sendo possível percebê-la no campo do Estádio em noites de disputa de partidas.