Os outros grandes eventos do ano

  • Les Ballets de Monte-Carlo
    dezembro de 2019
  • Festival International du Cirque
    janeiro de 2020
  • Le Rallye Monte-Carlo
    janeiro de 2020
  • Spring Arts Festival
    março de 2020
  • Le Bal de la Rose
    março de 2020
  • Monte-Carlo Rolex Masters
    abril de 2020
  • Grand Prix de Formule 1 de Monaco
    maio de 2020
  • Monaco Art en Ciel
    julho de 2020

Gala de la Croix Rouge Monégasque

Na presença de S.A.S. o Príncipe Albert II, Presidente da Cruz Vermelha monegasca acompanhado pela S.A.S. a Princesa Charlène e pela S.A.R. a Princesa Caroline, este evento de caridade tem lugar todos os anos no Salão das Estrelas do Sporting Monte-Carlo.

História do Baile da Cruz Vermelha de Mónaco

Foi em 1948 que o jovem Príncipe Rainier III de Mónaco presidiu à primeira Gala da Cruz Vermelha Monegasca, acabada de ser criada pelo Príncipe Louis II de Mónaco.  O princípio é, naturalmente, contribuir para o financiamento de ações fiéis ao espírito do grande humanista Henry Dunant. Nesse ano, a vedeta não foi nenhum outro senão Maurice Chevalier. Mas todos os anos a programação rivaliza em prestígio abrindo assim as suas portas a um desfile de Christian Dior em 1952 ou ainda Zizi Jeanmaire em 1953.

A presidência da Princesa Grace

Dez anos após a sua criação, a gala da Cruz Vermelha Monegasca muda de Presidente… a favor de uma Presidente: a Princesa Grace de Mónaco. Sob a sua presidência, a Gala irá acolher nomes tão prestigiados como o de Ella Fitzgerald (1959), Sammy Davis Jr. (1961), Charles Trenet (1962), Sacha Distel (1963), Gilbert Bécaud (1968), Charles Aznavour (1970) ou Shirley Bassey (1971).

O “come-back” de Joséphine Baker

1974 foi um marco importante: a gala foi realizada no novíssimo Monte-Carlo Sporting Club, oferecendo um cenário brilhante a uma grande estrela que aí fazia o seu último “come-back”: Joséphine Baker. Aos 68 anos, completamente arruinada, ela voltava aos palcos alguns meses antes da sua morte.
Neste novo enquadramento, Line Renaud (1975), Enrico Macias (1977), Gloria Gaynor (1979) ou Franck Sinatra (1980) foram-se sucedendo…
Em 1982, a morte acidental da Princesa Grace leva seu filho, o Príncipe Albert, a assumir o comando e é sob a sua presidência que a Gala da Cruz Vermelha Monegasca abre as suas portas a Elton John (1984), Liza Minnelli (1989), Tina Turner (1990), Stevie Wonder (1994) ou Lionel Richie (2004).
Mais de sessenta anos após a sua criação, a Gala da Cruz Vermelha Monegasca continua a ser uma instituição plena de vida, recebendo, na sua edição de 2011, um mito vivo: Joe Cocker… 

Ação de caridade por excelência

Este fabuloso sarau permite à Cruz Vermelha de Mónaco exprimir a sua gratidão para com os generosos doadores e saudar as ações realizadas com a ajuda dos donativos recebidos: meios de financiamento das suas atividades locais e internacionais. 

Ambiente elegante e encontro mítico

Ambiente glamoroso e prémios de prestígio…, a gala começa com a tradicional tombola, seguida de uma sumptuosa refeição com sabores de verão, no fim da qual S.A.S. o Príncipe Albert II abre o baile. As notas do concerto a favor da Cruz Vermelha Monegasca ressoam sobre o soalho da legendária Sala das estrelas…
Depois, o tradicional fogo de artifício ilumina o céu monegasco para grande prazer dos convidados. Uma maravilhosa maneira de lhes proporcionar a continuação da noite com um Baile que tanto faz sonhar… 

Para mais informações, visite o site oficial da Cruz Vermelha Monegasca.

Descubra todos os vídeos da Gala da Cruz Vermelha Monegasca!