Ver

Cathédrale de Monaco

Este edifício em estilo romano-bizantino, construído em 1875 com pedras brancas extraídas de La Turbie, abriga os túmulos dos príncipes falecidos. Em seu interior, ao lado de um magnífico altar principal e do trono episcopal em mármore branco de Carrara, encontra-se um retábulo do pintor originário de Nice Louis Bréa, datado de 1500.

Um pouco de história

Foi entre 1215 e 1240 que o Rochedo se tornou uma cidade fortificada. Uma Bula do Papa Inocêncio IV, datada de 6 de dezembro de 1247, deliberou pela construção da primeira paróquia independente de La Turbie e autorizou a aquela de uma igreja dedicada a São Nicolau, padroeiro dos marinheiros. Ela seria concluída em 1321. Essa igreja situava-se no local do transepto da atual catedral. O cemitério paroquial localizava-se no espaço que se tornou a nave. No transcorrer dos séculos XV, XVI e XVII, oito capelas foram construídas em seus corredores.

Em 1868, o território do Principado de Mônaco foi separado da Diocese de Nice. Tomou-se então a decisão de demolir a Igreja de São Nicolau, marcada por seis séculos de história, para se construir a atual catedral. Logo aos 6 de janeiro de 1875, o Príncipe Charles III lançou a primeira pedra Dedicada à Nossa Senhora da Imaculada Conceição, São Nicolau e São Benedito são os seus patronos secundários. A consagração da catedral ocorreu em 11 de junho de 1911.

   
 

Seus órgãos

A Catedral de Mônaco possui dois órgãos:

  • Os Grandes Órgãos posicionados na plataforma acima do nártex, produzidos por Jean-Loup Boisseau no ano de 1976, em colaboração com Pierre Cochereau e o cônego Henri Carol. Este último foi o seu titular de 1976 até a sua morte, em 1984. René Saorgin o sucedeu no posto até 2005. Olivier Vernet é o atual titular, desde 1° de janeiro de 2006.

Os trabalhos de reconstrução do grande órgão foram atribuídos ao fabricante, Manufacture d’orgues Thomas (Bélgica), e após 2 anos de trabalhos Mônaco dispõe, desde dezembro de 2011, de um instrumento único em termos arquitetônicos e musicais. O órgão possui 4 teclados, 79 jogos e aproximadamente 7.000 tubos. Em sua confecção foram utilizados os mais nobres materiais: pinheiro de Vosges nos foles, bordo no console, carvalho na fachada. Na fachada, finas placas de acrílico podem ser iluminadas de diferentes formas, a fim de expressarem visualmente a coloração sonora do instrumento.  Para maiores informações sobre este instrumento, vê-lo e ouvi-lo, consultar os links apresentados mais adiante.

  • O órgão do coro foi produzido em 1976 pela casa Tamburini (Crema, Itália).

Os ofícios pontifícios acontecem ali por ocasião das principais festas litúrgicas, bem como na festa da Sainte Dévote (27 de janeiro) e na Festa Nacional (19 de novembro). Notáveis concertos espirituais ocorrem sob os acordes do grande órgão de quatro teclados. De setembro a junho, todos os domingos às 10 horas, a missa é cantada pelo coral “Les petits chanteurs de Mônaco” e pela “La Maîtrise de la Cathédrale”.
Entrada liberada (salvo nos ofícios religiosos), das 9h00 às 18h00, diariamente
Exigem-se trajes adequados: ombros devem ser cobertos e minissaias ou shorts são igualmente proibidos (“bermudas” longas são aceitas)